quinta-feira, fevereiro 12, 2009

O TEMPO QUE SONHO E SINTO /DO CACIMBO DISTANTE

Finais de Junho

Dia lindo, de sol.

Claridade sem igual

...Lindo dia...

Há muito não via

Fresco, sem frio.

Ventinho de ar seco

Respiro fundo,

Neste lado do mundo

...Longe do Cubal...

Ai que saudade...

E, de repente

Um arrepio

Mas não de frio

Sinto-me ausente

Algo distante...

Entrando no Estio...

Um calafrio!

De tanta ausência?

Tanta distância...

...É a saudade...

Há qualquer coisa no ar...

Que me faz lembrar...

Vou aproveitar.

Aproveitar o momento,

Fechar os olhos

Sentir o vento

Sonhar...

...E voar...

E viver!

Viver e esquecer

Viver com este ar

Viver a sonhar

Neste local

Do meu Portugal

...tão distante...

Adiante!

Mas esquecer...

Acreditem, não minto,

Isto que eu sinto...

Sinto a ausência

Sinto a distância

Sinto um vazio...

Sinto-me flutuar...

Se pudesse voar...

...Naquele céu planar...

É tanta a saudade...

É mesmo verdade

Que sinto este tempo

Este tempo de Estio

Nem quente nem frio

Que sinto este tempo

O Tempo do Cacimbo...

Com um nó na garganta

O tempo que sinto...

Sinto, mas afinal...

...Não no Cubal...

Sinto-me perdido

Algo ferido...

Aquela terra distante

Sempre presente

A África ausente

Na África Austral

Que vontade tanta

De estar...

De voar...

De sonhar...

De respirar...

...No Cubal.

Valongo/Porto, 12-Fev-2009 (Um daqueles dias “parecendo verão...quase”, depois de uns intermináveis dias de chuva…, da tal, de faz de conta. Inverno cá, Estio lá. Lá com chuva, muita e forte chuva, daquela, da outra e muito sol... Cá, ouvindo os Guns N Roses- Live and let die - de Paul McCartney- uma daquelas músicas…).

FMartaNeves

NOTA: como se pode ver, pelos dois "posts", de dois amigos, o blog só pode mesmo, ficar mais rico.
Um abraço
GED

2 comentários:

Alice Almeida disse...

Fernando
Constacto que tens andado inspirado... e com saudade. Não te sabia com jeito para as palavras, mas confesso que estou a gostar. Um beijinho desta tua
Alice Almeida

F.Marta'seveN disse...

É, minha amiga, saudade
Tudo aquilo que eu sinto
O que te digo é verdade
Podes crer, eu não te minto
Beijo
Fernando Marta