quarta-feira, abril 29, 2009

GRIPE

Qual é a diferença entre diabetes, HTA, hipercolesterolémia, enfarte do miocárdio, AVC, cancro, etc, e gripe, neste caso suína?
Há muitas! Cada uma mata que se farta e, muito mais que a gripe. Há uma confusão estabelecida. Durante o inverno, toda a gente diz que tem ou teve gripe, quando na maioria das vezes nada disso aconteceu. Tiveram vulgares processos inflamatórios que nada têm a ver com gripe
A gripe, processo virusal, pode matar e mata todos os anos bastante gente, aqui, no México, no Nepal, etc.
O que neste caso diferencia esta gripe é o ardor irresponsável dos noticiários nacionais, amplamente demonstrado anteriormente na famosa gripe das aves. Com o caso Freeport em declínio, esta gripe vem mesmo a calhar. Ontem um apresentador de telejornal, dizia com ar muito sério que este virus era mortal. Nada menos do que isso.
Não acredito há muito tempo, que haja orgãos reguladores internos da comunicação social, que tragam responsabilidade ao que se diz, como não acredito que quem dê as notícias se prepare cuidadosamente para o que vai fazer.
Os resultados rápidamente estarão à vista, mas nessa altura ninguém noticiará nada. Falo da quantidade de dinheiro dispendido em máscaras e medicamentos, amplamente veiculados por estes senhores. Falo das campanhas publicitárias e de sensibilização da população, que óbviamente devem ser feitas de modo responsável. Falo também do pandemónio, do desperdício de tempo e do cansaço, que vai acontecer, com os serviços de urgência invadidos por gente em pânico, porque espirrou ou teve uma febricula. Estas contas ninguém as fará, mas todos as pagaremos.
Aposto, que os próximos noticiários darão conta do mau desempenho das urgências e dos seus trabalhadores, incapazes de darem conta do afluxo de gente que há-de vir.
A propósito: tanto quanto se sabe no meio, esta gripe não é particularmente mais virulenta que outras que por aí já andaram.
É caso para dizer que este é já "O triunfo dos porcos".
GED

1 comentário:

maria de lurdes disse...

Por falar em porcos, democracia e Paulo Portas (meu comentário em "Coisas de Abril"), as obras de George Orwell "O triunfo dos Porcos" (Pig´s Farm) e "1984" deveriam ser de leitura obrigatória nas escolas.