domingo, abril 04, 2010

O PAÍS DO ARCO-IRIS

Morreu Eugene Terre-Blanche, assassinado sabe-se lá por quem. Defendia a supremacia branca!!! Agora prometem vingança e a comunidade negra está em sobressalto.
É tempo, para mim que não sou racista, de pedir ajuda à engenharia genética. Resolver de uma vez por todas esta patetice das cores.
Porque não criar um "esperanto" racial?
Criar um homem novo, meio colorido, mestiço, com tons de amarelo, olhos em bico, cabelos de judeu ortodoxo e com uns laivos de tendência de bombista suicida. Provávelmente não resolveria totalmente o problema, já que existiriam uns mais mestiços que outros, com mais alguns caracóis, olhos mais ou menos em bico, mas melhoraria alguma coisa.
Haja paciência

GED

2 comentários:

karipande disse...

Ged
Sabes que este "anormal" que morreu ontem, quando estava preso por ser acusado de mortes em massa no seio da população negra, disse sobre uma frase do Mandela, que a África do Sul tinha que ser "um arco iris em termos raciais"?
Dise pura e simplesmente que no "arco iris não existia cor preta". Há gente que não faz falta nenhuma!

GED disse...

Totalmente de acordo.
um abraço