sexta-feira, maio 20, 2011

A PALAVRA

Escrever é um risco, uma roleta, uma montanha russa sem barreiras laterais nem cinto.
A gente busca na casa da palavra, as mais certeiras, redondas, afiadas para que se soltem e voem.
Por vezes, o mais difícil é juntá-las de forma a serem harmoniosas, inteligiveis, fazerem sentido.
Depois num acto de criatividade libertadora, que nos deixa exaustos, lançamo-las num voo que queremos perfeito.
Às vezes não acontece assim, mas também não é caso para desistir.
Acontece aos melhores...

3 comentários:

Ma Ferreira disse...

Mesmo quando o verso não é perfeito..
percebe-se a intenção e o coração é tocado.
Existe beleza no imperfeito se o olhar de quem olha habitua-se a ver o belo.

Gostei do que li..poeta!!
bj
Ma

lunda disse...

Escrever é voar com a imaginação e o sentimento, faça ou não sentido.
Exaustos acho que nos deixa a expressão verbal quando pensamos em algo que queremos que seja bonito, coerente e inteligente e…….fica o silêncio ........

...AMANHECER disse...

Eu chamo-lhe a "dança das palavras".A arte de saber "dançar" com as palavras! Quem escreve gosta de todas as danças... já quem lê...talvez só goste de valsa...o silêncio não!