sexta-feira, junho 10, 2011

Poesia soviética

VIDA, VIDA


Não acredito em presságios nem temo
Os pressentimentos. Não fujo nem da calúnia
Nem do veneno. A morte não existe.
Todos são imortais. Tudo também.
Não há sentido em temer a morte aos sete,
Ou aos setenta. Só há aqui e agora, e a luz;
Nem morte, nem escuridão existem.
Já estamos todos à beira-mar;
E eu sou um desses que vasculham as redes
Quando um cardume de imortalidade passa nadando.

Arsênyi Tarkóvski

2 comentários:

Ma Ferreira disse...

Lindo e profundo!
SÓ POR HOJE!

Passado passou..
amanhã?????

bj

Ma Ferreira

Bípede Falante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.