sexta-feira, fevereiro 18, 2011

ÁFRICA

Oh blog tão abandonado!

África explode-me diariamente no peito
Insinua-se no voo gracioso das garças
No caminhar altivo de flamingos rosa
Nas montanhas azuis riscando o céu
Ou basaltos negros aflorando a savana
Em mangas sumarentas de pintas pretas
Nos panos coloridos de mulheres jovens
Nas miragens quentes de fim de dia
Na terra vermelha sacudindo poeiras
Nos colibris e viuvinhas e zonguinhas
No serpentear preguiçoso de kamacoves
No grande vermelho mergulhando no mar
Vincando a direcção de Brasis tão próximos
Nas noites ensolaradas dos Cruzeiros
Sempre, sempre assinalando rumos sul
Nas cadências loucas de batuques nocturnos
Nas goiabas enormes derretendo sabores
Nos corpos suados de gente que se ama
Nos cacimbos esfarrapando as florestas
No olho brilhante e fixo das black mamba
Nos girassóis dançando valsas e boleros
Nos meninos gritando e correndo de alegria
Em fogueiras acendendo noites e almas
África explode-me diáriamente no peito
E eu, em cada dia morro de tanta saudade.

GED

10 comentários:

Jose Lobo Pires disse...

Meu caro,

Quem sente as suas origens desta forma jamais consegue morrer. Nem mesmo a saudade consegue matar quem ama como tu o que quer que seja.
Gostei imenso do que li.Ajuda e muito, a amenizar esse sentimento estranho que corroi lentamente.

Um abraço

Lobo

Bípede Falante disse...

Admiro muito quem ama com ardor o que quer que seja.
beijo.
BF

marluz disse...

Admiro muito quem consegue por em palavras um sentimento tao bonito.
Concordo com o Lobo,a saudade não mata quem ama assim,pelo contrario funciona como um gerador, alimenta o sentimento.
Gostei muito.
bjs
m
Marluz

Anabela Simoes disse...

GED

Vi e senti o cheiro da minha terra em cada frase!

África é isso: Um amor enorme que nunca se esquece e alimenta as nossas almas.
Só uma sensibilidade enorme transmite o que muitos de nós sentimos.
Bjs

Anabela

Phwo disse...

Se soubesses...
Queres trocar?
Um beijo...

GED disse...

Mas eu sei Ana.
Eu sei.
Mas é da terra que eu tenho saudades
Beijo e que bom rever-te
GED

Phwo disse...

Venho sempre, mas em silêncio que é o exercício que, cada vez mais, é sensato adoptar...
;-)
Bjs

GED disse...

Entendi Ana, mas sei que também me entendeste.
beijo
GED

CRibeiro disse...

"Nas cadências loucas de batuques nocturnos"
"Nos girassóis dançando valsas e boleros"
"África explode-me diáriamente no peito
E eu, em cada dia morro de tanta saudade."
...palavras para quê...está dentro...não há como arrancar...

Ma Ferreira disse...

Muito se le em lindos poemas sobre o
amor. Amor romantico, amor aos pais, aos amigos, aos animais...etc..
Mas pouco se le..sobre o amor uma terra.
Imagino pelo que escreve, o tamanho da saudades que vc sente. Saudade do tamanho do seu coração.
Me encanta saber que tanto amor cabe num peito.
feliz aquele que tem uma historia de amor para contar.
bj
Ma Ferreira